terça-feira, 25 de agosto de 2015

Sintomas do ataque de pânico podem parecer com infarto

Você está tranquilo em casa e, de uma hora para outra, começa a sentir taquicardia, acompanhada de dor no peito, falta de ar e tremor. Qual seria a sua primeira reação? Ir a um pronto-socorro? Ligar para o cardiologista? O recomendado é, realmente, diante de tais sintomas, procurar atendimento médico o mais rápido possível. Mas, em muitos casos, depois de realizados os exames, constata-se que a pessoa não tem problema físico. Isso é o que ocorre com 90% dos pacientes que sofrem de transtorno do pânico, que se manifesta por ataques intensos de ansiedade, acompanhados de sintomas físicos.

Você está tranquilo em casa e, de uma hora para outra, começa a sentir taquicardia, acompanhada de dor no peito, falta de ar e tremor. Qual seria a sua primeira reação? Ir a um pronto-socorro? Ligar para o cardiologista? O recomendado é, realmente, diante de tais sintomas, procurar atendimento médico o mais rápido possível. Mas, em muitos casos, depois de realizados os exames, constata-se que a pessoa não tem problema físico. Isso é o que ocorre com 90% dos pacientes que sofrem de transtorno do pânico, que se manifesta por ataques intensos de ansiedade, acompanhados de sintomas físicos.

Segundo o psiquiatra e chefe do Departamento de Saúde Mental da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Humberto Correa, em um primeiro momento, o ataque de pânico se assemelha a uma doença orgânica. “A pessoa pensa que está infartando. Com frequência, o primeiro contato médico que ela tem é com um serviço de atendimento de urgência. Esses profissionais precisam ser capazes de identificar a doença e encaminhar o paciente para um especialista”, observa.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que de 3% a 4% da população mundial tenha trastorno do pânico. Assim como a depressão, ele costuma ser mais frequente em mulheres. Cientistas, porém, ainda não descobriram a razão dessa diferença. Segundo Humberto Correa, mesmo que o transtorno possa se manifestar em qualquer idade, o normal é que ocorra em indivíduos adultos, geralmente na terceira década de vida. Os ataques duram de cinco a 20 minutos.

“O ataque de pânico normalmente ocorre sem nenhum fator desencadeante. A pessoa pode estar tranquila, dormindo, inclusive. A principal característica é de uma ansiedade maciça. São dois tipo de sintomas: os psíquicos e os físicos. Os psíquicos são uma sensação de morte iminente, de que algo grave esteja ocorrendo ou esteja para ocorrer. Os físicos são ligados muito à esfera cardíaca e respiratória. E isso, possivelmente, vai desaparecer da mesma forma que apareceu”, completa.


Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Disponível em: <http://www.abp.org.br/portal/imprensa/clipping-2/>.Acesso em: 25 ago. 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.